Newsletter Gestão de Terceiros > Edição 3 - Dezembro de 2009

Cuidados na hora de implementar a quarteirização


A quarteirização, ou seja, a delegação da gestão de contratos com terceiros para uma empresa especializada, tem se tornado uma importante aliada da gestão das organizações de maior porte, que demandam contratação intensiva de terceiros nos seus mais variados segmentos. Entretanto, como qualquer ferramenta de melhoria de desempenho administrativo e de desenvolvimento do negócio, precisa ter seus riscos mensurados antes de ser colocada em prática.

Um dos aspectos fundamentais para o sucesso da quarteirização é o planejamento adequado na escolha do parceiro que administrará as relações com os terceiros e a definição com clareza dos resultados pretendidos com o processo, por meio da criação prévia de uma metodologia corporativa”, destaca o diretor da Saratt, Newton Saratt.

Já, na elaboração do instrumento contratual de formalização do relacionamento, é importante que as cláusulas sejam acordadas com base em critérios objetivos, de possível cumprimento, e redigidas de forma clara. Outro cuidado deve ser tomado quanto à remuneração das atividades, que precisam estar baseadas em resultados previamente determinados. Também são indispensáveis cláusulas de garantia econômica, prevendo ressarcimento para a tomadora em virtude de danos ou prejuízos causados pela empresa gestora.

Saratt lembra ainda que a transferência da gestão dos contratos e das relações com terceiros não pressupõe o abandono do monitoramento das atividades contratadas. “Definidas as metas a serem atingidas, os resultados obtidos pelo gestor em relação aos terceiros deve ser avaliado de forma bastante próxima. É preciso estabelecer um fluxo definido, agendar reuniões periódicas e estabelecer um canal permanente de contato entre os representantes da empresa gestora dos contratos e a empresa tomadora.”

Tomados esses cuidados, a quarteirização pode trazer benefícios claros, como a eliminação de estruturas internas criadas para administrar os contratos e os relacionamentos com os terceirizados e a administração do risco jurídico da terceirização, pois o eventutal contato do empregado do terceiro ocorrerá com a empresa responsável pela gestão do contrato, que funcionará como um amortecedor da relação.

Newsletter mensal da TGestiona e da Saratt produzida pela Paper Comunicação. 
Editora e jornalista responsável: Maria Cecilia Stroka (MTb 18.357); Redação: Loraine Calza.

 

 

 
Veja as outras matérias desta edição